A Novartis automatiza sua cadeia de suprimentos na Polônia

A Novartis automatiza sua cadeia de suprimentos na Polônia

A cadeia de suprimentos de uma empresa farmacêutica destaca-se pelo seu rigoroso controle dos produtos

A Novartis automatiza sua cadeia de suprimentos na Polônia

A indústria farmacêutica realiza um controle exaustivo e seguro do estoque para preservar as propriedades dos medicamentos eliminando, assim, qualquer possibilidade de erro em cada um de seus processos. Com a ajuda da Mecalux, a multinacional Novartis acaba de inaugurar um novo armazém autoportante na Polônia com capacidade para 14.304 paletes e uma operação totalmente automática.

  • Imagens
  • Ficha técnica
    Armazém automático autoportante da Novartis
    Capacidade de armazenamento: 14.304 paletes
    Dimensões dos paletes: 800 x 1.200 mm
    Peso máx. dos paletes: 700 kg
    Altura das estantes: 27 m
    Comprimento das estantes: 70 m
    Nº de transelevadores: 3
  • Baixar PDF

Líder na indústria de cuidados de saúde

Com sede na cidade da Basileia (Suíça), a Novartis é uma empresa multinacional do setor farmacêutico e de biotecnologia. A empresa nasceu em 1996 como resultado da união de três importantes empresas: A Geigy, que vendia corantes e produtos químicos, a Ciba, fabricante de corantes, e a Sandoz, empresa química.

Há algo que essas três empresas têm em comum e que até hoje prevalece na Novartis: a paixão para aproveitar todos os avanços da ciência. Tudo isso com o objetivo de desenvolver produtos que contribuam para o progresso humano e melhorar a qualidade de vida das pessoas. A Novartis produz e comercializa uma ampla variedade de medicamentos e tratamentos, tais como medicamentos genéricos, vacinas ou remédios de combate ao câncer. Nos últimos anos expandiu sua presença em mercados emergentes da Ásia, África e América Latina, uma vez que existe uma demanda de acesso à saúde e aos medicamentos de qualidade.

A dificuldade de armazenar medicamentos

O setor da saúde esteve envolvido em um processo de transformação sem precedentes para se adaptar às políticas de ajuste econômico e às novas tendências do mercado. Consequentemente, empresas como a Novartis estão diante do desafio de aumentar a eficiência e otimizar os custos, mantendo a qualidade de seus medicamentos e respondendo às necessidades dos clientes.

A Novartis investe permanentemente em melhorar todos os seus processos, assim como a renovação de suas fábricas e de seu sistema logístico, visando garantir que seus medicamentos sejam totalmente eficazes. A empresa precisava ampliar a capacidade de armazenamento de sua unidade de embalagens de medicamentos em Stryków (Polônia) para reforçar “o desenvolvimento da Novartis neste país, aumentar as vendas e responder à crescente demanda de medicamentos embalados do mercado”, explica Tomasz Marchewa, Diretor da cadeia de suprimentos da Novartis.

Também destaca que “o novo armazém deveria ser um elemento integrante da moderna unidade de embalagens da Novartis em Stryków”. Nessa unidade realiza-se o processo de embalagem de todos os produtos acabados, prontos para serem distribuídos. Portanto, “na decisão de construir o armazém também influenciou o fato de conseguir o máximo desempenho possível durante o processo de embalagem dos medicamentos”, afirma Tomasz Marchewa.

A localização do armazém tem um efeito direto na cadeia de suprimentos de qualquer empresa, mas, no caso das empresas farmacêuticas, também afeta a saúde das pessoas. É essencial distribuir os medicamentos com a maior rapidez possível para que os clientes possam comprar seus remédios exatamente no momento em que precisam deles. Nesse sentido, a Novartis joga com vantagem porque a localização de seu armazém na Polônia é perfeita, uma vez que está localizado na cidade de Stryków, no centro da Polônia, “muito perto das rodovias, algo que representa uma vantagem adicional”, afirma Tomasz Marchewa.

No entanto, armazenar e distribuir produtos farmacêuticos não é uma tarefa fácil, porque devem ser armazenados em perfeitas condições para manter suas propriedades e garantir que sejam suficientemente eficazes. Por exemplo, cada medicamento é armazenado a uma temperatura diferente que, via de regra, habitualmente não excede os 25° C.

Uma operação totalmente automática

A Mecalux construiu um novo armazém autoportante de 1.980 m² e 27 m de altura ao lado da fábrica. De fato, os dois edifícios estão perfeitamente interligados entre si através de um túnel de ligação. Por um lado, o armazém envia os produtos semiacabados necessários para a fábrica e, por outro, recebe os produtos acabados.

O armazém é composto por quatro corredores de 70 m de comprimento com estantes de profundidade dupla em cada lado, que oferecem uma capacidade de armazenamento para 14.304 paletes.

Os paletes incluem produtos acabados, produtos semiacabados, envases e embalagens. Para distribuir corretamente esse tipo de mercadoria, foi instalado o sistema de gestão de armazéns (SGA) da Mecalux, Easy WMS, encarregado de atribuir uma localização para cada produto em função de suas características.

Os transelevadores fazem as entradas e saídas da mercadoria em suas localizações correspondentes, seguindo as indicações do SGA. Trabalham a uma velocidade de translação de 160 m/min e 46 m/min em elevação. Cada uma dessas máquinas pode realizar 24 ciclos combinados (24 paletes de entrada e 24 paletes de saída), o que “favorece uma maior eficiência do trabalho e garante a continuidade dos processos realizados na fábrica”, indica Tomasz Marchewa.

A automatização de todos os processos trouxe muitas vantagens para a Novartis. O diretor da cadeia de suprimentos da Novartis destaca, sobretudo, “o aumento da segurança, a redução dos custos de manutenção, o controle de todos os movimentos, o aumento da capacidade de armazenamento em comparação com outros sistemas tradicionais de armazenamento e a redução dos custos pessoais.”

Além disso, ao automatizar todos os movimentos, não é necessário que os operadores manuseiem a mercadoria, o que se traduz em maior higiene e segurança tanto dos operadores quanto dos produtos (algo indispensável ao lidar com medicamentos).

De acordo com Tomasz Marchewa, “o armazém é muito moderno e nos oferece a capacidade de armazenamento necessária.” No entanto, para uma multinacional importante como a Novartis é imprescindível considerar as perspectivas futuras de crescimento. Por isso, foi reservado um espaço destinado para uma possível ampliação futura.

Tomasz Marchewa - Diretor da cadeia de suprimentos da Novartis
“A escolha da Mecalux para construir o armazém automático autoportante foi motivada por fatores como a experiência internacional que essa empresa tem, pois executou uma infinidade de projetos diferentes e importantes, tanto no país quanto no exterior, além de oferecer um serviço local muito eficiente, ter um preço atrativo e ter fabricado os componentes na Polônia, algo que nós valorizamos muito positivamente.”

Armazém interligado à fábrica

O armazém tem dois níveis com diferentes funções e operações:

  • Piso inferior: Aqui os produtos são recebidos e armazenados. Podem ser produtos provenientes de fornecedores ou produtos de outras fábricas da Novartis.
    Também se realiza a expedição e a distribuição dos produtos acabados, prontos para serem comercializados em mais de 60 países de todo o mundo.
  • Piso superior: É a partir de onde o armazém está interligado à fábrica. Para transportar a mercadoria entre as duas instalações, são utilizados veículos guiados automaticamente (AGV). A razão para incorporar essas máquinas, de acordo com Tomasz Marchewa, é o fato de “a automatização ser uma prioridade para a Novartis, incluindo o transporte interno.”
    Essas empilhadeiras executam as funções que, em um armazém não automático, seriam executadas por operadores através de empilhadeiras tradicionais. Além da rapidez e segurança para fazer as transferências,“a utilização dessas empilhadeiras nos permite ter espaços e corredores de circulação completamente livres”, acrescenta.
    Nesse piso realiza-se o processo de embalagem dos produtos. Os AGVs direcionam a mercadoria para uma enfardadeira que garante a estabilidade da carga. Ali mesmo, as etiquetas são impressas e colocadas nos paletes para serem identificados.

Benefícios para a Novartis

  • Uma unidade de embalagens moderna: para a Novartis, era uma prioridade disponibilizar uma área onde fosse possível embalar os produtos acabados provenientes da fábrica e contar com soluções de armazenamento automático.
  • Máxima produtividade: todas as operações do armazém são totalmente automáticas. Dessa forma, é possível garantir o fluxo de entradas e saídas que a Novartis necessita para abastecer seus clientes.
  • Aumento da segurança: com a automatização os operadores não precisam manusear a mercadoria, o que evita erros e garante um alto nível de segurança.
Armazém automático autoportante da Novartis
Capacidade de armazenamento: 14.304 paletes
Dimensões dos paletes: 800 x 1.200 mm
Peso máx. dos paletes: 700 kg
Altura das estantes: 27 m
Comprimento das estantes: 70 m
Nº de transelevadores: 3

Fale com um especialista 0800 771 8666

Solicitar informação e/ou orçamento