Os drones decolam no setor de logística

22 Fevereiro 2021

Os drones e a logística começam a voar juntos. Com aplicações cada vez mais variadas (desde ajudar no combate a incêndios até fazer relatórios fotográficos), os drones podem trazer novas funcionalidades aos armazéns: encontrar itens difíceis de localizar, inspecionar o topo das prateleiras, acessar áreas de armazenamento estreitas, etc.

Além disso, no momento em que as entregas em 24 horas estão normalizadas, as empresas buscam soluções eficazes que possam trazer agilidade as expedições. Os drones geram expectativas muito altas nesse sentido, sendo capazes de transportar mercadorias por via aérea, ou seja, por um espaço muito menos congestionado.

No entanto, esta tecnologia ainda tem que superar algumas limitações. Neste artigo veremos o que são os drones, as questões que são levantadas pela sua  incorporação nos armazéns e quais poderiam ser suas funcionalidades no futuro.

Drones: definição, aplicações e potencial

Um drone, também conhecido como UAV por sua sigla em inglês (Unmanned Aerial Vehicle), é uma aeronave não tripulada muito pequena. Normalmente tem de quatro a oito hélices, um GPS e uma câmera. Não é um dispositivo autônomo, uma vez que geralmente requer supervisão humana. Usando um controle remoto, o usuário pode direcionar o curso desses dispositivos. Embora existam modelos mais sofisticados que podem ser controlados por um computador ou seguir um caminho pré-estabelecido.

A principal função dos drones é mover-se para qualquer lugar, mesmo penetrando áreas de acesso restrito. Portanto, inicialmente, eles foram usados ​​em âmbito militar. Por serem menores e mais baratos que os helicópteros e aviões, além de não tripulados, fator que evita que vidas humanas corram perigo.

Suas diversas aplicações permitem que essa tecnologia já se consolide em diversos setores, tais como:

  • Energia e infraestrutura: com os drones, as empresas de energia podem monitorar o status de todas as suas infraestruturas, mesmo que sejam de difícil acesso (desde minas a parques eólicos offshore).
  • Agricultura e florestamento: drones são usados ​​para verificar o estado das culturas e detectar irregularidades. Também para rastrear a vida selvagem e localizar incêndios florestais.
  • Construção: utiliza drones ​​para revisar o progresso de certas construções e para inspecionar os danos em edifícios (por exemplo, após um terremoto).
  • Cinema e fotografia: uma das aplicações mais populares dos drones é a realização de reportagens fotográficas ou vídeos de tomadas aéreas.

Drones e logística

Os drones entraram recentemente no setor de logística e podem se tornar um componente principal para a transformação digital dos armazéns. Esta tecnologia cumpriria três funções específicas na cadeia de abastecimento:

Entregar pedidos

Os drones podem entregar pedidos aos clientes por via aérea. Essa solução traria alguns benefícios: redução de custos, agilidade nas entregas, redução do transporte rodoviário e, consequentemente, diminuição da poluição.

Embora esse tipo de entrega seja especialmente útil em áreas urbanas, também tem grande potencial em áreas rurais isoladas e remotas.

No entanto, os centros de distribuição teriam que estar localizados próximos aos clientes, pois esses dispositivos têm autonomia limitada. Os drones também levantam algumas dúvidas quanto à capacidade de entrega dos pedidos: não podem tocar a campainha das casas ou entrar em blocos de apartamentos, são sensíveis às mudanças climáticas e podem sofrer acidentes e cair (o que representaria perigo para a segurança dos pedestres).

Empresas como UPS, Amazon e Google (por meio de sua subsidiária Wing) estão desenvolvendo projetos relacionados à entrega de pedidos. Para usar este serviço, os clientes teriam que instalar um aplicativo em seus telefones celulares para rastrear a localização exata do drone e especificar um local de coleta. No momento, seu uso ainda está em fase experimental.

Inspecionar e monitorar o armazém

Dadas as dificuldades que os drones têm para circular nas vias públicas, eles são mais eficazes em espaços controlados, como armazéns.

Como em outras indústrias, os drones podem ser de grande ajuda na inspeção do estado dos armazéns ou na realização de uma inspeção técnica de estantes, sendo particularmente eficazes na verificação do teto ou das superfícies elevadas dos armazéns (os níveis superiores das prateleiras, por exemplo). Conforme a tecnologia evolui, os drones também podem realizar pequenos reparos em áreas onde os humanos não podem acessar com tanta facilidade.

Drones também podem atuar como sentinelas e constituir um novo sistema de vigilância, controlando o acesso de intrusos ao armazém. Esses dispositivos podem voar sem interrupção por muitas horas, para que possam desempenhar suas funções com a máxima eficiência, sem a necessidade de turnos para o trabalho.

Além disso, estando no ar, os drones têm uma visão muito mais ampla do armazém e podem, portanto, servir para ajudar os operadores e instruí-los sobre como se mover com segurança ou realizar tarefas mais delicadas, por exemplo, manobrar empilhadeiras em corredores estreitos.

Gerenciar o inventário

Uma das funções mais esperadas dos drones no armazém é a realização o inventário de forma rápida e eficaz. Na realidade, os drones não poderiam substituir os funcionários do armazém, mas coexistiriam com eles para realizar essa tarefa com mais facilidade.

Entre as suas melhores características, destacamos que os drones podem voar pelo armazém de forma controlada, com plano de voo e rota pré-determinada. Incorporariam câmeras para detectar a posição e um sistema de identificação da mercadoria, seja um leitor código de barras ou leitor de RFID.

Para isso, seria necessário integrar o drone ao sistema de gerenciamento do armazém. Desta forma, o WMS poderia manter um controle muito preciso do estoque do armazém.

Vantagens e desvantagens dos drones

Não há dúvida de que os drones terão um impacto positivo na cadeia de suprimentos, embora essa tecnologia ainda esteja em desenvolvimento, com muitos aplicativos a explorar e limitações a superar.

Vamos começar abordando os benefícios dos drones:

  • Velocidade: os drones são muito rápidos. A FAA (Federal Aviation Administration), entidade governamental responsável pela aviação civil nos Estados Unidos, estabeleceu uma velocidade máxima permitida de 160 km/h para drones.
  • Acessibilidade: ao se moverem pelo ar, os drones evitam as restrições do tráfego terrestre e demonstram uma grande capacidade de chegar a qualquer lugar, por mais inacessível que seja pela estrada. 
  • Desempenho: os drones podem voar sem interrupções por horas, seja movendo um produto para onde é necessário ou realizando uma inspeção.
  • Segurança: possuem câmeras para registrar tudo o que acontece enquanto voam. Assim, as empresas garantem que cada drone chegará ao seu destino.

Também é importante levar em consideração algumas de suas desvantagens:

  • Legislação: ainda não foi desenvolvida uma extensa legislação sobre o uso desses dispositivos no espaço aéreo, portanto, as rotas de tráfego aéreo ainda não foram definidas.
  • Rendimento: os drones mais sofisticados ainda são caros e inacessíveis para muitas empresas. À medida que a tecnologia se populariza, é esperado que se tornem mais acessíveis.
  • Limitações: dependendo do modelo, os drones têm certa capacidade de carga e autonomia. É comum encontrar modelos que suportam cargas entre 10 e 30 kg. Existem projetos comerciais de drones nos quais eles podem levantar até 200 kg.
Os drones podem fazer o inventário do armazém, inspecionando quais itens estão armazenados nas prateleiras
Os drones podem fazer o inventário do armazém, inspecionando quais itens estão armazenados nas prateleiras

Presente e futuro dos drones na logística

Como toda nova tecnologia que chega ao armazém, os drones alimentam expectativas e dúvidas. Esses dispositivos voadores podem mover objetos e mercadorias muito rapidamente, bem como penetrar e inspecionar áreas de difícil acesso. No entanto, atualmente sua capacidade de carga e autonomia são limitadas.

Os drones representam mudanças e, se a tecnologia evoluir e for desenvolvida de maneira adequada, poderão transformar e otimizar muitos dos processos da cadeia de suprimentos. Isso forçará as empresas a melhorar e modernizar suas instalações, entrando em uma nova era da logística.