Sistemas de armazenagem

Escolher entre os diferentes sistemas de armazenagem para as necessidades de cada cliente é um processo que abrange muitos aspectos. Neste artigo, são analisados os critérios básicos, pois, compreendendo como eles afetam a decisão final, será mais fácil analisar os critérios mais complexos posteriormente.

Os critérios básicos são quatro:

  • A capacidade que se quer alcançar
  • A agilidade que se pretende atingir
  • A variedade e a tipologia dos produtos armazenados 
  • O custo geral da solução 

A seguir, explicaremos como cada um desses critérios influencia no desenvolvimento da instalação.

Escolha do sistema de armazenamento

Instalação com combinação de sistemas de armazenagem

 

Capacidade que se quer alcançar

No artigo "Sistema com acesso direto aos paletes", dedicado à armazenagem paletizada sobre estantes, destacamos as capacidades que são possíveis conseguir com cada um dos sistemas. Vimos que com a densidade consegue-se uma maior capacidade de armazenagem, ou seja, que com uma mesma superfície disponível, é possível armazenar uma maior quantidade de mercadoria.

Neste ponto é importante recordar o que se indica no artigo "Diferenças de capacidade entre sistemas" sobre a capacidade física e a capacidade efetiva, pois nos sistemas por densidade podem ocorrer grandes diferenças entre ambas, devido à grande quantidade de vãos vazios que pode ter em um fluxo normal de trabalho.

Ao contrário, nas estantes convencionais obtém-se uma capacidade física menor do que nas variedades compactas, mas esta é muito parecida à capacidade efetiva, desde que se conte com um sistema de gestão adequado, pois, praticamente, não deixam vãos vazios no fluxo habitual de trabalho.

A máxima capacidade efetiva em um armazém de paletização é atingida com um sistema que combina os melhores aspectos das duas variedades anteriores: as estantes convencionais sobre bases móveis. Com elas, desde que se utilize um sistema de gestão competente, consegue-se uma capacidade física elevada, similar à atingida com as soluções compactas, e uma capacidade efetiva muito próxima da física. 

 

Armazém para empresa dedicada à comercialização de pavimentos e revestimentos cerâmicos.

Armazém para empresa dedicada à comercialização de pavimentos e revestimentos cerâmicos

Além do aproveitamento da superfície disponível no armazém, também deve ser considerado o espaço vertical. Por isso, desde que o regulamento permita, é conveniente utilizar sistemas que aproveitem a altura máxima da instalação, ou então construir armazéns altos dotados de automatização (como o da imagem anterior). 

 

Agilidade que se pretende atingir

Em muitos casos, é fundamental que se demore o menor tempo possível em realizar as operações no armazém, especialmente se for uma instalação de tamanho médio ou grande. O número de operadores necessários está relacionado diretamente com este critério e, consequentemente, o custo agregado por cada operação realizada.

Para medir a duração da execução de cada tarefa, é preciso contabilizar o tempo utilizado em percorrer a distância que separa o ponto de início da posição da mercadoria e somar o tempo que demora em retornar, salvo no caso de se tratar de um movimento combinado (aproveita-se o deslocamento utilizado para recolher mercadoria, para deixar outra ou vice-versa), quando, então, serão medidos separadamente.

Caso sejam analisadas as diferentes operações, verifica-se que com a mercadoria paletizada, o sistema menos dinâmico e rápido é o de estantes compactas, seguido do sistema de Push-back. A variedade mais ágil é a de estantes dinâmicas por gravidade, seguida da baseada em estantes convencionais. Em um ponto intermediário se encontram as soluções de bases móveis e as de Pallet Shuttle, mas o resultado depende do número de operações seguidas que forem executadas em cada rua.

Quanto aos armazéns automáticos, são ágeis se a programação de tarefas estiver corretamente planejada.

 

Variedade e tipologia de produto

Neste critério, a solução adotada mais adequada baseia-se na variedade de referências, na quantidade de paletes ou nas caixas por produto e no tempo em que a mercadoria permanecerá no armazém.

  • Se a mercadoria estiver paletizada e houver uma grande variedade de referências com poucos paletes por cada uma delas, o sistema adequado são as estantes convencionais estáticas, embora outra opção bastante válida também consista em instalá-las sobre bases móveis.
  • Caso a situação seja a oposta, poucas referências e muitos paletes por cada uma delas, qualquer sistema por densidade é adequado. E se, além disso, a mercadoria for ficar muito tempo sem movimentação, é correto utilizar estantes compactas também. 
  • Quando a mercadoria armazenada for manipulada em caixas ou depositada solta em alocações específicas, é possível recorrer a soluções de armazenagem individual e produtos soltos, salvo no caso de produtos irregulares.

Tirando essas premissas, um fator condicionante do sistema que deve ser utilizado pode ser o da rotatividade. Portanto, para produtos A (de consumo alto) paletizados, qualquer um dos sistemas de armazenagem é válido, principalmente os sistemas por densidade. É comum utilizar esses últimos com tais produtos, mas deverá ser avaliado o maior tempo necessário para a execução das manobras.

Quanto aos produtos B (de consumo médio), as modalidades adequadas são as que utilizam estantes convencionais, Push-back e dinâmicas de pouca profundidade. 

 

Custo geral

O quarto fator que deve ser considerado na hora de escolher uma modalidade de armazenagem ou outra é o custo de sua instalação e operação. O objetivo final é ajudar a gerar negócios para a empresa. 

Para que a empresa seja competitiva, os custos associados às operações devem ser os menores possíveis. Além de estimar o prazo do retorno do investimento (ROI) que também deve ser o mais reduzido possível. Algumas empresas estipulam não realizar certo tipo de investimento onde o ROI não tenha um prazo inferior a três anos.

Em função disso, na maioria dos casos, será escolhida a solução que tiver um preço mais competitivo e um menor prazo para o retorno do investimento. Por outro lado, o cliente também deve ser capaz de financiar a solução escolhida.

Mas também é verdade que a escolha do sistema de armazenagem apropriado, os fluxos mais adequados, a forma de operar, a escolha da localização do armazém, etc., terão um grande peso no aspecto financeiro do armazém, mas o fator que mais vai repercutir nesse critério é a solução adotada para fazer o picking ou a preparação de pedidos (cujas formas de operar são explicadas mais adiante).

Neste quadro mostramos de forma esquemática uma comparação entre as diferentes soluções de paletização, embora indicando apenas os fatores que podem exercer uma maior influência. A pontuação final apenas pretende medir o nível de vantagens ou desvantagens de um ou outro sistema, mas isso não quer dizer que a modalidade com mais pontuação seja sempre a melhor. Em cada caso haverá um sistema que será mais adequado do que o outro. Para a elaboração dessa análise comparativa não foram consideradas as operações de picking, apenas a armazenagem de paletes, a acessibilidade e a capacidade.

 

TABELA COMPARATIVA DE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM 
Sistemas de armazenagem de acesso direto
  Paletização convencional Bases móveis Paletização convencional dupla profundidade Paletização convencional corredor estreito Paletização convencional automática Paletização conv. automática dupla profundidade
Aproveitamento superfície 2 5 3 3 3 4
Aproveitamento volume 2 4 3 3 3 3
Acesso a todos os paletes 5 5 2 5 5 4(A)
Rapidez de aceso/agilidade (movimentos por hora) 4 3 2(B) 3 5(C) 4(A)
Rotatividade de estoque 4(D) 4(D) 2(B) 4(D) 5 4(A)
FIFO FIFO FIFO (relativo) FIFO FIFO FIFO (relativo)
Altura último nível (m) 2 2 1 3 5 4
<10 <10 <8 <14 <45 <40
Largura corredores (m) 3 2 3 4 5 5
2,20/3,50 (E) 3,00/3,50 (E) 3,00 (E) 1,55/1,80(F) 1,55 1,55
Investimento  inicial 4 (baixo) 3 (médio) 4 (baixo) 3 (médio) 2 (alto) 2 (alto)
Equipamento de movimentação (empilhadeira) ·Empilhador
·Retrátil
·Contrabalançada
·Retrátil
·Contrabalançada
·Retrátil especifíca ·T. trilateral
·T. bilateral
·Transelevador ·Transelevador
Vantagens (pontuação média)* 3,25 3,50 2,50 3,50 4,12 3,75
TABELA COMPARATIVA DE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM 
Sistemas de armazenagem por densidade
  Paletização compacta Push-back com carros Push-back com roletes Pallet Shuttle Dinâmica com roletes Pallet Shuttle automático Dinâmica com roletes automática
Aproveitamento superfície 5 4 4 5 5 5 5
Aproveitamento volume 5 4 4 4 4 4 4
Acesso a todos os paletes 1 2 2 1 2 2 2
Rapidez de aceso/agilidade (movimentos por hora) 2 3 3 3 4 4 5
Rotatividade de estoque 1 2 2 2 5 2 5
LIFO LIFO LIFO LIFO FIFO LIFO FIFO
Altura último nível (m) 2 1 1 2 3 3 4
<10 <7,5 <7,5 <10(E) <14(E) <40 <40(G)
Largura corredores (m) 2 2 2 2 3 4 4
3,00/3,50(H) 3,00/3,50(H) 3,00/3,50(H) 3,00/3,50(H) 1,80/3,50(H) 1,55 1,55
Investimento  inicial 4 (baixo) 3 (médio) 3 (médio) 3 (médio) 2 (alto) 2 (alto) 1 (muito alto)
Equipamento de movimentação (empilhadeira) ·Retrátil
·Contrabalançada
·Retrátil
·Contrabalançada
·Retrátil
·Contrabalançada
·Retrátil
·Contrabalançada
·Trilateral
·Retrátil
·Contrabalançada
·Trilateral
·Transelevador ·Transelevador
Vantagens (pontuação média)* 2,75 2,62 2,62 2,75 3,50 3,40 3,75

PONTUAÇÃO: 1 (baixa) 6 (muito alta).  Em “Investimento inicial” os valores se invertem. *Média obtida a partir das oito variáveis numéricas.

(A) Com SGA (WMS) e módulo de realocação 
(B) Com SGA (WMS) e gestão A-B-C pode ser maior
(C) Operação programada
(D) Com SGA (WMS) apropriado 
(E) Depende da empilhadeira
(F) Depende se for bilateral ou trilateral
(G) É imprescindível garantir uma qualidade muito boa dos paletes 
(H) Depende da empilhadeira e simultaneidade em um corredor 

 

Combinação de critérios

É frequente encontrar instalações onde foi considerada uma combinação dos critérios expostos anteriormente. Também é comum dispor de diferentes sistemas de armazenagem, cada um para um tipo determinado de produto.
 

No artigo "Sistema mistos" podemos ver exemplos onde se combinavam estantes convencionais, estantes sobre bases móveis, estantes por densidade, sistemas dinâmicos e, além disso, se instalavam transportadores de roletes para reduzir os tempos de manobra.

A combinação de critérios e de soluções de armazenagem permite desenvolver instalações únicas adaptadas, ao máximo, às necessidades concretas das empresas que as exploram. 

 

Otimização dos critérios nos armazéns automáticos

Os quadros anteriores mostram que os sistemas de armazenagem automáticos combinam a otimização dos critérios básicos. O único inconveniente que apresentam é seu maior custo inicial, mas oferecem, entre outras, as seguintes vantagens:

  • Grande capacidade de armazenagem
  • Maior altura da construção
  • Perfeito controle e gestão
  • Alto desempenho nas entradas e saídas (totalmente automatizadas)
  • Mínima necessidade de pessoal
  • Maior acessibilidade aos produtos
  • Rotatividade mais fácil

 

Armazém para empresa de distribuição de produtos cosméticos

Armazém para empresa de distribuição de produtos cosméticos

 

Os sistemas automáticos podem ser aplicados apenas na alocação da mercadoria, no transporte interno ou em ambos. O mais comum é essa última possibilidade, pois aumenta consideravelmente o número de movimentos que podem ser executados e, por outro lado, os operadores só devem preocupar-se em carregar e descarregar os caminhões ou contêineres.

Nas soluções completamente automatizadas, são instalados transportadores apropriados nas áreas de docas. Esses transportadores estão preparados, em geral, para operar com transpaleteiras. Esse sistema é utilizado tanto nas áreas de saída quanto nas de entrada, mas no caso dessas últimas, é necessário disponibilizar elementos de controle de gabarito e paletes, com a finalidade de garantir o bom funcionamento dos equipamentos e dispositivos automáticos.

Entrada para o posto de controle do armazém automático.

Entrada para o posto de controle do armazém automático

Armazém automático.

Armazém automático

 
  • Armazenamento paletizado com acesso direto

    O único sistema com acesso direto aos paletes são as estantes convencionais, que aceitam diversas variantes: sobre bases móveis, com fundo simples ou duplo, para instalações em altura ou combinadas com sistemas de movimentação automáticos.

  • Quando escolher instalações em altura?

    As instalações em altura permitem otimizar a superfície de construção, já que as estantes podem alcançar até 40 metros de altura quando combinadadas com transelevadores automáticos.

  • Quando escolher estantes de dupla profundidade?

    As estantes de dupla profundidade são recomendadas quando a capacidade de armazenamento é priorizada em relação a agilidade de manuseio. É necessário equipamentos de movimentação com garfos telescópicos.

  • Sistemas de compactação

    Esse é o segundo grande grupo de sistemas de armazenamento para paletes e inclui estantes compactas, as Push-back, as dinâmicas e o sistema Pallet Shuttle.

  • Porta paletes dinâmico

    Com esse sistema cada canal de armazenagem está provido de um caminho de roletes levemente inclinado, que possibilita a movimentação da mercadoria através da gravidade, conseguindo uma rotação de produto perfeita.

  • Diferenças de capacidade entre sistemas

    Comparação entre a diferença de capacidade que é possível conseguir com forme o sistema instalado, partindo do caso hipotético de um armazém com medidas e unidades de carga concretas.

  • Armazenagem para itens pequenos

    Definição de algumas considerações prévias para o desenho de um armazém de itens pequenos, que costumam precisar de um elevado índice de rotação para uma grande variedade de referências.

  • Sistemas mistos

    A combinação de distintas soluções de armazenagem é um recurso muito frequente em instalações grandes que operam com uma ampla variedade de produtos.