Como organizar um armazém de peças de reposição

10 Julho 2020

Para muitas empresas industriais, a gestão do armazém de peças de reposição é uma parte essencial de sua política de manutenção. Tanto se forem de tamanho pequeno ou médio quanto se pertencerem a fabricantes que se dedicam ao fornecimento dessas peças, um desafio comum na organização de um armazém de peças de reposição é saber o que temos, onde está e como garantir um nível adequado de estoque.

Os armazéns de peças de reposição fazem parte da categoria de instalações de armazenagem de produtos pequenos, embora tenham características que os tornam especiais.

Gerenciar armazéns de peças de reposição cumprindo objetivos

Devido à natureza do produto depositado, os armazéns de peças de reposição são submetidos a uma pressão extra, uma vez que é exigido:

  • Classificar e gerenciar um elevadíssimo número de referências: geralmente são de tamanho pequeno, embora não seja estranho encontrar uma grande variedade de dimensões. As diferenças entre certas peças podem ser mínimas e, por isso, as informações que constam no inventário e a ausência de erros no registro é fundamental para proporcionar um bom serviço.
  • Conseguir níveis muito altos nas operações: as peças de reposição costumam ser um bem demandado com urgência devido à sua aplicação. Por isso, os armazéns de peças de reposição devem responder em um prazo de tempo muito curto.
Os armazéns de peças de reposição podem utilizar estantes para picking e transportadores para as referências com rotatividade mais alta
Os armazéns de peças de reposição podem utilizar estantes para picking e transportadores para as referências com rotatividade mais alta

Como conseguir um controle exaustivo do inventário e uma operação ágil com tantos SKU e com um nível de serviço suficiente? Não existem respostas únicas, mas é verdade que ajuda (e muito) contar com:

  • Um Sistema de Gerenciamento de Armazém que concentre todas as informações do inventário disponível e registre com precisão o histórico do estoque. Isso permite atribuir os parâmetros de rotatividade do estoque para controlar o abastecimento e evitar as prejudiciais rupturas de estoque.
  • Pessoal treinado que tenha facilidade para lidar com armazenagem e fornecimentos industriais. Se estivermos falando de um armazém menor, um problema habitual é a existência de uma certa desorganização do inventário. Para evitá-lo, é aconselhável designar um responsável, restringir o acesso ao armazém e ter rigor ao registrar as alterações de inventário.

Estratégias para organizar um armazém de peças de reposição

No momento de organizar um centro de distribuição de peças de reposição é preciso encontrar uma solução equilibrada entre a capacidade de armazenagem e as operações. Podemos classificar as opções mais comuns em função do método de picking ou preparação de pedidos:

- Picking do homem ao produto: soluções em armazéns de peças de reposição

Quando o estoque de peças de reposição for amplo e tiver características muito diversificadas, a vantagem das soluções de picking do homem ao produto permitem preparar um grande volume de pedidos simultaneamente. Para isso, muitos armazéns de peças de reposição são organizados seguindo o método de picking por ondas ou wave picking.

As estratégias mais comuns são:

  • Setorizar o armazém em um ou vários pisos: quando o picking é realizado de forma manual, as estantes não costumam ser muito altas para facilitar as manobras. Ao adicionar pisos, se multiplica a capacidade de armazenamento e se mantém a acessibilidade às referências.
  • Integrar transportadores de caixas que interliguem as áreas de armazenagem e inclusive as plataformas com a área de consolidação e expedição. Assim, é possível poupar uma boa parte do tempo que dedicamos a deslocamentos e os operadores podem focar nas demais tarefas de picking para conseguir preparar mais pedidos por hora.
  • Utilizar estantes para picking dinâmico combinadas com pick to light: é uma solução recomendada sobretudo para os SKU com uma rotatividade muito alta e muitas unidades por referência.

- Picking do produto ao homem

No tópico de soluções de picking produto ao homem para armazéns de peças de reposição, os miniload ou transelevadores para caixas destacam-se porque aliam rapidez, precisão e capacidade de armazenamento.

Diante do modelo anterior, a principal vantagem é que se trata de um sistema que maximiza o espaço disponível e permite concentrar um grande número de referências em um espaço restrito. No entanto, isso prejudica o número de pedidos que podem ser preparados simultaneamente.

Os miniload são armazéns compactos para cargas leves. Existem vários tipos dependendo do desempenho que atinjam: médio (150 caixas por hora em ciclos combinados), alto (entre 150 e 180) e muito alto (mais de 250).

Que tipo de organização devemos escolher para um armazém de peças de reposição?

Para organizar um armazém de peças de reposição é muito importante analisar as características do estoque e fazer uma comparação dos sistemas e métodos considerando: custo total do investimento, custo de manuseio, capacidade operacional e uso da superfície. Com esses dados será mais fácil implementar a solução adequada.

Na Mecalux, contamos com uma vasta experiência no setor dos fornecimentos industriais de componentes e peças de reposição de qualquer tipo. Entre em contato conosco, vamos ajudá-lo a organizar seu armazém de peças de reposição com sucesso.