A empilhadeira contrabalançada

As empilhadeiras contrabalançadas recebem esse nome, por causa do grande contrapeso de ferro que possuem em sua parte traseira. São do tipo carregadoras de balanço, o que significa que levam a carga à frente de seu ponto de apoio. Seu funcionamento se baseia no princípio da alavanca de primeiro grau, na qual um peso denominado potente é capaz de elevar outro peso denominado resistente (a carga), apoiando-se em um ponto intermediário denominado ponto de apoio ou pivô de rotação.

As empilhadeiras contrabalançadas levam sua carga a frente de seu ponto de apoio.

As empilhadeiras contrabalançadas levam sua carga a frente de seu ponto de apoio. (Imagem cedida pela Toyota)

 

Nas empilhadeiras elevadoras contrabalançadas, o peso potente é constituído pelo conjunto da máquina, que inclui o chassi, em cujo interior se encontra o motor, a transmissão, a bomba hidráulica e os demais dispositivos de controle da máquina. O contrapeso, normalmente parafusado ao chassi em sua parte traseira e os eixos – dos quais o dianteiro é o motriz e o traseiro é o diretriz, para manobrar melhor a máquina – também são parte do peso potente. O mastro, a estrutura porta-garfos e os garfos, embora façam parte da empilhadeira, são incluídos no peso resistente, pois se encontram instalados na parte da frente do centro do eixo dianteiro, que é o que atua como ponto de apoio ou fulcro. O peso resistente é constituído tanto pelos elementos instalados diante do ponto de apoio, como a carga que deve ser transportada.

Por que é tão importante entender o papel desempenhado por cada elemento nesse sistema de alavanca? Porque as dimensões da máquina, seu peso, o contrapeso e os demais elementos, definirão a carga nominal que a empilhadeira pode manusear e elevar. Além disso, a distância a partir do mastro até o centro de gravidade da carga também influenciará em sua capacidade nominal: quanto maior a distância, menor a capacidade de carga.

Quanto ao seu uso, as empilhadeiras contrabalançadas, além de serem muito rápidas, são ótimas para trabalhar tanto dentro quanto fora do armazém, embora sejam especialmente aconselháveis para as operações nos exteriores, por sua construção e design. Elas são também máquinas adequadas para a carga de caminhões, pois em sua parte dianteira sobressaem apenas os garfos.

Na hora de incorporá-las a uma instalação, é preciso levar em consideração que a altura de elevação dessas empilhadeiras costuma estar limitada a 7,5 m e que o corredor normal de trabalho adaptado a esses elementos deve estar entre 3.400 e 4.200 mm livres.

 

As empilhadeiras contrabalançadas são ideais para trabalhar tanto dentro como fora do armazém.

As empilhadeiras contrabalançadas são ideais para trabalhar tanto dentro como fora do armazém. (Imagem cedida pela Toyota) 

Nesse tipo de máquina, o corredor pode variar muito, dependendo da carga e da construção. Portanto, pode inclusive acontecer de haver máquinas que necessitem de corredores com mais de 4.000 mm, é preciso escolher a máquina mais apropriada para cada instalação.

Quanto aos modelos que podem ser encontrados no mercado, uma das principais diferenças entre eles, além das características já comentadas, é sua forma de alimentação. Há máquinas elétricas impulsionadas por baterias, assim como térmicas, que funcionam com gás ou óleo diesel.

Também podem apresentar diferenças nos tipos de mastro, construídos em função da altura de elevação e que podem ser: duplos, com dois corpos telescópicos que se estendem desde o início da elevação; duplos com elevação totalmente livre, onde, ao contrário do anterior, o mastro telescópico não se estende antes do garfo ter subido completamente; e triplos, com três corpos telescópicos.

Uma última característica que pode variar de um modelo para o outro é o tipo de garfos utilizado, pois há máquinas que têm garfos deslocáveis lateralmente e oscilantes para favorecer as manobras ao apanhar ou deixar os paletes.

Empilhadeira contrabalançada são ideais para trabalhar tanto dentro como fora do armazém.

Empilhadeira contrabalançada operando em um armazém com estantes dinâmicas

 

Other topics in this category