O manuseio de cargas na logística de frio enfrenta desafios únicos

Cadeia do frio: logística e desafios na gestão eficaz de um setor em expansão

28 Agosto 2020

A logística do frio gerencia mercadorias altamente sensíveis, produtos que podem estragar ou perder a validade rapidamente em condições não controladas.

Esse fato faz com que as empresas que trabalham com frio estejam diante de um desafio duplo: além dos desafios da logística 4.0 é preciso acrescentar os aspectos particulares do setor. Em nosso artigo analisamos as principais áreas de trabalho que os responsáveis por logística enfrentam neste setor.

Quatro elementos para uma gestão eficaz da cadeia do frio na logística

As seguintes tendências estão transformando a forma de operar das empresas dedicadas à logística do frio:

1. Eficiência energética no layout de armazéns e pontos de venda

A contenção dos custos de armazenagem e transporte é um objetivo comum em qualquer tipo de cadeia de suprimentos. Mas no caso da logística do frio a necessidade de manter atmosferas controladas e de proteger a continuidade da cadeia de frio acarreta maiores investimentos tanto em armazéns quanto em veículos industriais ou em pontos de venda final.

No caso do layout dos armazéns frigoríficos, se faz a reorganização do espaço para evitar que o consumo energético aumente. Para isso, muitas empresas optam por sistemas de armazenagem compactos (especialmente se tiverem muitos paletes de poucas referências), instalações com estantes autoportantes (que priorizam a altura) e a inclusão de materiais isolantes na fase de construção do armazém para evitar a perda de temperatura.

2. Controle exaustivo de processos: temperatura, rastreabilidade e movimentos de estoque

O avanço das mercadorias perecíveis ao longo do supply chain transita por pontos críticos que ameaçam quebrar a cadeia de frio. Como minimizar o risco que isso representa?

  • Manter a temperatura sob controle o tempo todo: a redução dos prazos de entrega e as tendências da logística omnichannel também estão presentes no setor do frio, por isso é imprescindível controlar as condições em que a mercadoria é armazenada e transportada. Por isso são utilizados sensores especializados na coleta e transmissão desses dados para os softwares correspondentes.
  • Garantir uma rigorosa rastreabilidade de mercadorias: a tecnologia RFID impõe-se cada vez mais na logística do frio devido às vantagens que oferece para a identificação automática das mercadorias. As etiquetas RFID contêm informações essenciais sobre o produto (lote de fabricação, validade, características, etc.) e se comunicam com os diferentes softwares sem necessidade de ter contato direto para fazer sua leitura.
  • Controle de processos exaustivo: uma gestão de estoque deficiente na logística do frio aumenta os riscos de que a mercadoria acabe deteriorando-se. Por isso, as regras FIFO/FEFO devem ser cumpridas de forma rigorosa da fábrica até o consumidor. O software simplificou o manuseio de grandes quantidades de informação e, no caso do armazém, o WMS funciona como uma excelente ferramenta de controle de estoque.
As estantes móveis são uma opção muito utilizada nos armazéns dedicados à cadeia do frio logística
As estantes móveis são uma opção muito utilizada nos armazéns dedicados à cadeia do frio logística

3. Automatização: a máxima rapidez nas operações de logística de frio

O uso de sistemas automáticos no armazém melhorou notavelmente a agilidade e a segurança no manuseio de produtos perecíveis em atmosferas controladas. Aos versáteis transelevadores de paletes ou transportadores de paletes, são adicionadas as seguintes soluções:

  • Pallet Shuttle: em combinação com sistemas de armazenagem compactos, o Pallet Shuttle acelera as operações de reposição de estoque de expedição da mercadoria ao reduzir o número de movimentos realizados pelo operador.
  • Estantes móveis: utilizadas sobretudo em câmaras de congelamento com referências de média e baixa rotatividade, às quais não se tem acesso com muita frequência. Compactam o armazém e garantem uma significativa economia de espaço e custos.
  • Picking por voz: facilita as gestões de picking em armazéns refrigerados onde as luvas podem tornar mais lento o manuseio dos dispositivos de leitura e digitalização.

4. Conscientização e treinamento para os profissionais

Apesar das novas ferramentas tecnológicas e das mudanças organizacionais, há um fator que não podemos ignorar: os profissionais. A logística do frio exige que os trabalhadores conheçam os processos em detalhes e que estejam altamente conscientizados para garantir a cadeia de frio a partir de sua posição individual.

Por isso, o talento 4.0 também desempenha um papel importante nesse desafio, visto que as novas tecnologias exigem cada vez mais habilidades digitais por parte dos trabalhadores.

Se você quiser otimizar a gestão da logística do frio em sua empresa, entre em contato conosco. Nossa experiência prévia com todos os tipos de armazéns frigoríficos e congelados, tal como este projeto recente da empresa Maheso, nos permitiu explorar múltiplas soluções para desafios que persistem em toda a cadeia de suprimentos do setor.